Resenha 13 Reasons Why

resenha conteudo zero
Compartilhe

Assunto sério, série ruim.

No último dia de março chegou a Netflix a série 13 Reasons Why, baseada no livro homônimo de 2007, do autor Jay Asher. A série gira em torno de Hanna Baker, uma adolescente que comete suicídio e deixa 13 fitas cassetes que explicam os motivos (porquês) que fizeram com que ela tirasse a própria vida.
A série aborda temas polêmicos e pesados, do bullyng ao estupro e como tais casos podem influenciar e até acabar com a vida de alguém. A premissa da série é ótima, diferente, te prende no começo, porém com o passar dos episódios e a maneira que cada problema é apresentado, faz com que se torne chato e confuso.
Por muitas vezes erros bobos são cometidos, personagens aleatórios são inseridos mostrados como parte importante da trama e logo são descartados, outros não são desenvolvidos e alguns simplesmente somem na reta final.

A falta de preocupação com o enredo irrita, deixando completamente de lado fatos mostrados em episódios anteriores causando uma chuva de contradições.
Alguns episódios são completamente descartáveis, não influenciam em nada no contexto da série, dando a sensação de que dez seriam mais que suficiente.

A forma que o tema é abordado deixa a desejar, muitos casos são superficiais ou simplesmente frutos de uma má interpretação por parte da personagem, que muitas vezes comete os erros dos quais acusa a todos e passa quase sempre despercebido, como se por ser a principal ela tem licença para cometer.
A maneira que muitos ”porquês” são apresentados acabam banalizando a situação, como se tudo fosse motivo para cometer suicídio, passando uma imagem ruim e perigosa, exceto é claro quando acontece o estupro.

13 Reasons Why duvida da capacidade de quem está assistindo ou simplesmente não se importa com os erros cometidos. Peca na forma que seu enredo é abordado, banalizando um tema sério e além de romantizar o suicídio, o repete como se fosse a melhor opção.

Leia mais no Conteúdo Zero