Crítica | Pantera Negra (Sem spoilers)

Continuando com seu universo cinematográfico a Marvel chega com seu 18° filme ”Pantera Negra”.
Após os eventos de ”Guerra Civil” o príncipe T´Challa(Chadwick Boseman) volta para assumir o trono de Wakanda e junto as responsabilidades de um rei, tendo que administrar não só o reino em si, como as pessoas que o compõem.

Sem dúvidas é o filme com enredo mais político da Marvel, feito de forma inteligente, o tom político é bem explorado, expondo algumas bandeiras e mostrando vários lados, que fazem com que T´Challa tenha que pensar bastante antes de tomar qualquer medida. Uma das coisas mais legais do longa é a ambientação, trazendo a cultura de várias partes da África e diversos rituais, danças, tudo de forma bem colorida e bonita.

Por outro lado, o CGI usado em T´Challa em cenas de ação como Pantera Negra são fracos, com movimentação que lembram jogos de video game, bem pobre, para um filme tão rico em detalhes.
A luta final não é boa, a solução para o combate é chata e sem criatividade, uma pena, tinha tudo para uma batalha épica.

Andy Serkis (Senhor dos Anéis e Planeta dos Macacos) está sensacional como Ulysses Klaw, com piadas e um jeito completamente insano, poderia ser melhor aproveitado.

Killmonger (Michael B. Jordan) É mais um vilão interessante, tendo que conviver com traumas e uma infância difícil, cresceu com um sentimento grande de vingança se tornando um extremista capaz de tudo pelo que deseja.

Outra personagem que merece destaque é Okoye (Danai Gurira) a líder das Dora Milaje, a guarda real do Pantera Negra. Imponente e fiel ao trono, Okoye nos dá cenas maravilhosas de luta e se mostra uma guerreira com habilidades incríveis e uma seriedade tão grande que chega a ser engraçada, excelente personagem e atuação.

Pantera Negra é um filme sério e pode ser um novo caminho para a Marvel nos cinemas, as piadas são poucas e feita de maneira inteligente, um respiro para quem não aguentava mais ou se entorpeceu de comédia em Thor: Ragnarok.

Leia mais no Conteúdo Zero