Crítica | Vingadores: Guerra Infinita, SEM SPOILERS

Image from the movie "Vingadores: Guerra do Infinito"

Depois de dez anos do seu universo cinematográfico, Chegou aos cinemas um dos filmes mais aguardados dos últimos tempos, Vingadores 3: Guerra Infinita.
Neste período dezoito filmes foram lançados pela Marvel e todos preparavam para o ápice , a maior reunião de heróis já feita no cinema.

O maligno Thanos(Josh Brolin) está disposto a reunir as seis jóias do Infinito com o intuito de dizimar metade da vida do universo, com isso os Vingadores precisam se reunir para tentar impedir.

A maneira que a Marvel encontrou para reunir tantos personagens é boa,  dividindo o filme em vários núcleos, cada um com seu objetivo específico, porém com a principal missão que é impedir Thanos.
A interação entre os personagens são ótimas rendendo bons diálogos e claro diversas piadas, feitas no ponto certo e pelos personagens que se mostraram bem humorados ao longo do MCU. Os Guardiões da Galáxia principalmente rendem cenas hilárias.

Image from the movie "Vingadores: Guerra do Infinito"
© 2018 Walt Disney Pictures − All right reserved.

Thanos é o que todos esperavam, impiedoso, frio e disposto a tudo pelo seu objetivo, tem motivação e uma história de fundo excelente, fazendo com que entenda inclusive a dor e o sofrimento do personagem, dando assim uma maior profundidade ao vilão

O longa possui poucos momentos parados, é ação quase que o tempo inteiro com grandes batalhas espalhadas pelos núcleos criados no filme.

Guerra Infinita não é o filme da Marvel de sempre, se por um lado as piadas são mantidas e você sente que que a fórmula está presente, por outro gera muitos momentos de tensão e uma seriedade pouco vista. A carga emocional é grande e temos diversos momentos surpreendentes, sem falar do final épico e que deixa a todos de queixo caído, sem acreditar no que está rolando e no que foram capazes.

Vingadores 3: Guerra Infinita, consegue juntar perfeitamente sua fórmula de sucesso com um tom mais sombrio levando a Marvel a um caminho completamente diferente do visto até então, fechando com chave de ouro os 10 anos do seu universo cinematográfico.

 

Leia mais no Conteúdo Zero